Banda brasileira apresentou disco na íntegra e comentou todas as faixas

Far From Alaska, depois de estrear seu novo repertório em Brasília, no festival CoMA, seguiu para São Paulo onde realizou um show especial de seu novo disco, Unlikely, lançado no último dia 4. Com a casa lotada, o grupo formado por Emmily BarretoCris BotarelliRafael BrasilEdu Filgueira e Lauro KirschZ mostrou o disco na íntegra e criou uma dinâmica diferente para o show ao comentar cada uma das faixas.

A experiência de ouvir o disco completo, de uma só vez, mostrou que o álbum ganha ainda mais peso ao vivo. Já, as explicações para cada uma das faixas mostram que a ideia de nomes curtos e de animais não é algo que transforme o trabalho em um projeto conceitual, já que cada uma das faixas aborda um tópico diferente.

Como no caso de “Pig” (que iria se chamar Galinha), que de acordo com a banda surgiu com a ideia de passar o clima de uma fazenda perto da praia. Após conhecer esse detalhe, fica ainda mais fácil entender o conceito sonoro com o uso de slide guitar e a cadência rítmica. Já “Monkey”, uma das faixas mais pesadas do álbum, ao vivo fica ainda mais pesada dando a ideia de que uma marreta está vindo contra a sua cabeça. E isso é bacana. “Rhino” fala sobre a dificuldade para criar a música que já contava com o refrão e deveria ter Whitney Houston como inspiração.

Com essa apresentação, mesmo com as músicas ainda frescas no processo pós-estúdio, o FFA mostrou no show realizado no Z que a nova criação é coesa e pesado e, com certeza, deve agradar uma gama ainda maior de pessoas. No entanto, algo que poderá ser ouvido com mais clareza nas próximas apresentações são as nuances que o grupo consegue aplicar no projeto gravado e que nesta apresentação não surgiram de forma tão marcante, possivelmente por causa da saturação do grave no espaço.

Por fim, mesmo com a dinâmica do show alterada, em função da apresentação especial do novo disco, a troca entre a banda, as duas vocalistas, e a plateia é algo realmente interessante que transforma o show do Far From Alaska em algo que você precisa ver, caso ainda não tenha visto, ou que você precisa ver novamente para curtir tudo que o trabalho do grupo pode entregar à medida que as novas músicas começarem a ganhar “tempero de estrada”.